Universo Piauí Publicidade 1200x90
31/03/2023 às 18h12min - Atualizada em 31/03/2023 às 18h12min

Centro de Referência realizou quase 10 mil atendimentos às mulheres em situação de violência

O Creg atende mulheres de 18 a 59 anos em situação de violência doméstica, familiar e de gênero com uma equipe multiprofissional

Imagem: SMPM
O Centro de Referência da Mulher em Situação de Violência – Esperança Garcia (CREG), comemorou oito anos de funcionamento em Teresina nesta sexta-feira (31). Desde a sua fundação, o espaço já realizou  9.780 atendimentos a mulheres em situação de violência doméstica, familiar e de gênero. Ao todo, 1.646 mulheres foram inseridas no serviço.
 

A secretária de Políticas Públicas para Mulheres, Karla Berger, explica que o serviço é ofertado para mulheres residentes em Teresina, com idades entre 18 e 59 anos. No espaço são oferecidos assistência jurídica, social e psicológica, além de práticas integrativas e complementares em saúde e cursos de capacitação profissional gratuitos.

“O local funciona como o espaço de fortalecimento para que essa mulher, no tempo dela, rompa o ciclo de violência”, explica Karla. “É um espaço sigiloso, gratuito, com acesso às profissionais multidisciplinares para romper o ciclo da violência. Existem vários tipos de violência, muitos ainda não percebidos pela vítima. Aqui, com o atendimento, ela vai se fortalecer e superar os traumas deixados pelas agressões”, informa.

Desenvolvido em parceria com a Ação Social Arquidiocesana (ASA), o Centro Esperança Garcia é o único serviço que atende diretamente mulheres em situação de violência residentes em Teresina. Segundo Roberta Mara, coordenadora do Centro, o objetivo principal do serviço é fazer com que as mulheres rompam com o ciclo da violência, seja ela psicológica, física ou patrimonial.

A Secretária da Mulher comemorou o aniversário do CREG dando um destaque à política habitacional. O Creg conseguiu inserir àquelas que necessitavam de uma moradia. São mulheres que estão vinculadas aos serviços prestados pelo Centro de Referência, pois, tendo em vista a dificuldade de romper com o ciclo de violência pela falta de moradias. No total, foram 21 mulheres contempladas. “Contamos para isso, com uma parceria com a SEMDUH”, explica a Coordenadora do CREG, Roberta Mara.

De acordo Roberta, nos últimos anos, nenhuma das mulheres que passaram pelo serviço foram vítimas de feminicídio. “Nosso serviço tem se mostrado bastante exitoso com aquelas mulheres que são atendidas. O nosso espaço não é um ambiente de denúncia, mas sim de sigilo e acolhimento, em que estamos preocupados em ajudá-las a romper com o ciclo da violência e recuperarem sua autoestima”, destaca a coordenadora.

Como funciona o acesso ao serviço?

O Centro atende mulheres de 18 a 59 anos em situação de violência doméstica, familiar e de gênero com uma equipe multiprofissional. As mulheres podem ser encaminhadas pela rede de enfrentamento a violência contra a mulher ou acessar diretamente o serviço.

O equipamento é seguro, sigiloso e gratuito. “O Creg não é um abrigo, mas sim uma instituição de dar apoio, conselho, do cuidado de recepcionar. Esse acolhimento está numa perspectiva de uma proteção”, pontua a coordenadora, acrescentando que o centro não é um local de denúncia, mas sim de atendimento. “Se fizermos um estudo com as mulheres que estão em atendimento no CREG, não é a violência física que primeiro elas sofrem, mas a violência psicológica”, observa.

Em 2021, o Creg atendeu 280 mulheres na capital. “A nível de Teresina somos referência. Aqui, ela busca se empoderar para saber como lidar com aquela situação de violência”, atenta Roberta Mara. O espaço é uma rede de vínculos para as atendidas e equipe.

Acompanhamento da Guarda Maria da Penha

As mulheres acompanhadas pelo CREG que possuem medida protetiva são acompanhadas pela Guarda Maria da Penha, na qual presta a proteção das mesmas. Em alguns casos, há também o monitoramento do agressor, visando evitar que a violência volte a acontecer.

Ela reforçou a importância de as pessoas poderem ajudar as vítimas de violência e não julgá-las. “As pessoas têm que sensibilizar as mulheres a buscarem os serviços de apoio. Ela tem que ser encorajada e sensibilizada para denunciar”, disse. “Nosso maior êxito é que de alguma forma estamos chegando ao nosso objetivo que é romper com a violência”, finaliza a coordenadora.

Onde encontrar o Creg?

O Creg está localizado na Rua Benjamin Constant, 2170 – Centro Norte e funciona de Segunda a Sexta, das 08:00 às 17:00h ou através dos telefones: (86) 3233-3798 / 99416-9451, que também é WhatsApp.

Fonte: SMPM


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://universopiaui.com/.
Fale pelo Whatsapp
Obrigado por acessar nossa página.
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp