Universo Piauí Publicidade 1200x90
13/03/2023 às 13h47min - Atualizada em 13/03/2023 às 13h47min

Drama sem fim: mais uma greve atinge usuários de ônibus em Teresina

Desde as primeiras horas da manhã desta segunda-feira, a população está sem ônibus

Foto: Paulo Pincel/PP

A semana começa com uma péssima notícia para a população de Teresina:  motoristas e cobradores decidiram parar nesta segunda-feira (28). Uma nova assembleia geral da categoria, realizada na manhã desta segunda-feira (13), decidiu pela manutenção da greve por tempo indeterminado.

"A categoria continua 100% em greve, tem a determinação de rodar 30 a 40% da frota, mas a categoria não vai. Estamos sendo massacrado dia a dia. Inclusive estamos com 45 dias sem receber pagamento de cinco empresas. E hoje vemos esse desinteresse por parte do Setut em não querer negociar”, destacou o presidente do Sindicato dos Trabalhadores de Empresas de Transporte Rodoviários do Piauí (Sintetro), Antônio Cardoso.

A greve foi deflagrada a partir de zero hora de hoje. Ela pode ser suspensa depois da assembleia porque foi um pedido do prefeito. Ele pediu para eu mediar e chegar a um acordo, mas isso vai depender muito dos trabalhadores. Se o prefeito realmente quiser isso, ele que se comprometa não comigo, mas com a categoria”, resssaltou o presidente do Sintetro.

"Estamos com 100% dos ônibus parados. Como os trabalhadores vieram para assembleia e não foram para as garagens não teve como colocar os 30% da frota em circulação. A revolta é grande e queremos nossos direitos”, acrescentou o diretor do Sintetro, Cláudio Gomes. 

A greve foi decidida na sexta-feira (11), após mais de três horas de reunião entre as duas categorias e a direção do   Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros de Teresina (SETUT)


O Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transportes Rodoviários no Estado (Sintetro) reivindica a a assinatura da convenção coletiva, reajuste salarial dos motoristas para R$ 2.830 com jornada de 7h20, ticket alimentação de R$ 600 e plano de saúde.

O Setut ofereceu um reajuste de 6% acima da inflação, o que não evitou a greve.

A íntegra da nota do Setut:

O Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros de Teresina (SETUT) informa que na tarde desta sexta-feira (10), a entidade esteve reunida, no Tribunal Regional do Trabalho (TRT), juntamente com a Procuradoria Regional do Trabalho, Prefeitura de Teresina e os dois sindicatos, patronal e laboral, onde foram amplamente discutidas todas as questões que envolvem uma negociação salarial a respeito do transporte urbano, serviço público essencial para toda a sociedade.

Ao final, o sindicato patronal, sensibilizado, após os apelos do Desembargador Manoel Edilson, Procurador Chefe do Trabalho Dr Edno, bem como dos representantes da prefeitura, ofertou para seus colaboradores, num esforço sobre-humano, um reajuste de 6% nos salários (a inflação está em 5,7% ), 20% no auxílio alimentação e 33% no auxílio saúde. Para surpresa de todos e indignação dos representantes do setut, os sindicalistas, representantes. sindicato dos motoristas, não aceitaram a proposta e afirmaram, categoricamente, que iriam manter a greve, com indicativo de iniciar na segunda-feira, em desrespeito total à população teresinense.

O Setut reitera seu total compromisso com a população da capital, buscando diálogo permanente tanto com o sindicato laboral, quanto com a Prefeitura, para manter o bom funcionamento do sistema de transporte da capital.

Com informações Parlamento Piauí


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://universopiaui.com/.
Fale pelo Whatsapp
Obrigado por acessar nossa página.
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp