Universo Piauí Publicidade 1200x90
09/03/2023 às 10h17min - Atualizada em 09/03/2023 às 10h17min

Estimativa de fevereiro cai 1,3%, mas safra 2023 ainda será recorde

Produção agrícola no Rio Grande do Sul enfrenta os efeitos da estiagem devido ao fenômeno La Niña

Foto: Ivo Dahlke/Emater-RS-Ascar

A safra brasileira de cereais, leguminosas e oleaginosas deve alcançar novo recorde em 2023, totalizando 298,0 milhões de toneladas, de acordo com a estimativa de fevereiro do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA), divulgado hoje (09) pelo IBGE. O valor é 13,3% ou 34,9 milhões de toneladas maior que a safra obtida em 2022.

Em relação a janeiro, a estimativa registrou redução de 1,3% (3,9 milhões de toneladas), primeira queda desde o início das projeções para 2023. Mesmo assim, a expectativa é de recorde nas produções da soja e do milho no ano.

Já a área a ser colhida deve ser de 75,8 milhões de hectares, apresentando crescimento de 3,5% frente à área colhida em 2022, aumento de 2,6 milhões de hectares. Em relação ao mês anterior, a área a ser colhida apresentou um crescimento de 36.592 hectares (0,0%).

“Em 2022, observamos uma quebra forte da safra de soja. Já em 2023, está havendo uma recuperação do produto, com alta de 21,3%. Além disso, a safra de milho está, novamente, batendo recorde de produção. Esses dois produtos, em grande parte, ajudam a entender a estimativa recorde para este ano”, analisa Carlos Barradas, gerente do LSPA.

Em relação a janeiro, os principais declínios nas estimativas da produção foram da soja (-1,7% ou -2.524.827 t), do milho 1ª safra (-2,5% ou -733.342 t), do milho 2ª safra (-0,4% ou -373.587 t) e do arroz (-2,5% ou -252 744 t).

A produção agrícola do Rio Grande do Sul tem sofrido os efeitos do fenômeno La Niña, com uma forte estiagem, o que levou à redução de sua estimativa de produção no mês.

“Os dados de produção do Rio Grande do Sul, que está enfrentando uma seca, começaram a ser observados em fevereiro. Por isso vemos essa queda de 3,9 milhões de toneladas em comparação com o mês anterior. O Estado é nosso terceiro maior produtor de grãos”, explica Barradas.

Barradas acrescenta que apesar dos impactos sofridos no Rio Grande do Sul, a estimativa de produção de soja e milho no país continua recorde para 2023, impulsionada por boas condições de produção, plantio e colheita.

“Ao contrário do ano passado, em 2023 a seca está concentrada mais no Rio Grande do Sul, e com menor intensidade no Estado. Nos demais estados produtores, como Mato Grosso, Goiás, Mato Grosso do Sul, está chovendo muito bem. Por isso estamos batendo novo recorde de produção de soja, milho e grãos”, analisa o gerente do LSPA.

A estimativa para a produção de arroz foi de 10,0 milhões de toneladas, declínios de 2,5% em relação ao mês anterior e de 6,0% em relação a 2022. Apesar das perdas, que no mês de fevereiro chegaram a 252.744 toneladas, essa produção deve ser suficiente para abastecer o mercado brasileiro.

“O principal produtor de arroz do país é o Rio Grande do Sul. Com a seca, é possível que a disponibilidade de água para irrigação tenha sido reduzida, visto que quando há uma seca nessas proporções, muitos municípios limitam a água para este fim. A prioridade é o abastecimento urbano das populações ", destaca Barradas.

Com 29,7% de participação, Mato Grosso lidera a produção nacional de grãos

Mato Grosso lidera como o maior produtor nacional de grãos, com participação de 29,7%, seguido pelo Paraná (15,1%), Rio Grande do Sul (11,8%), Goiás (9,3%), Mato Grosso do Sul (8,3%) e Minas Gerais (5,9%), que, somados, representaram 80,1% do total.

A estimativa da produção de cereais, leguminosas e oleaginosas apresentou variação anual positiva para cinco grandes Regiões: a Centro-Oeste (8,5%), a Norte (11,1%), a Sudeste (1,0%), a Nordeste (2,3%), e a Sul (32,6%). Quanto à variação mensal, apresentou aumento a Região Nordeste (0,5%); houve estabilidade nas Regiões Norte e Sudeste e declínios nas Regiões Sul (-4,3%) e Centro-Oeste (-0,1%).

Sobre o LSPA

Implantado em novembro de 1972 com o propósito de atender às demandas de usuários por informações estatísticas conjunturais mensais, o LSPA fornece estimativas de área plantada, área colhida, quantidade produzida e rendimento médio de produtos selecionados com base em critérios de importância econômica e social para o país. Ele permite não só o acompanhamento de cada cultura investigada, desde a fase de intenção de plantio até o final da colheita, no ano civil de referência, como também o prognóstico da safra do ano seguinte, para o qual é realizado o levantamento nos meses de outubro, novembro e dezembro. Acesse os dados no Sidra.

Fonte: IBGE


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://universopiaui.com/.
Fale pelo Whatsapp
Obrigado por acessar nossa página.
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp