Universo Piauí Publicidade 1200x90
09/03/2023 às 10h03min - Atualizada em 09/03/2023 às 10h03min

Projeto da CGJ proporciona inclusão social a jovens em acolhimento institucional

o projeto proporcionará novas perspectivas de futuro quando estes jovens se aproximarem da maioridade

- Ascom TJ
Tribunal de Justiça do Piaui

O Tribunal de Justiça do Piauí realizou reunião para  assinatura do termo de cooperação entre a corregedoria e os sistemas Fecomércio e Sistema S que institui o projeto Auxiliando Vidas, com o objetivo de viabilizar o processo de desinstitucionalização de jovens que vivem em acolhimento institucional. Adolescentes de 14 instituições e abrigos de Teresina serão contemplados com as vagas destinadas para o projeto.

 

De acordo com o corregedor-geral da Justiça, desembargador Olímpio José Passos Galvão, o projeto proporcionará novas perspectivas de futuro quando estes jovens se aproximarem da maioridade: “É uma iniciativa que visa à integração social destes jovens que, ao completarem sua maioridade civil, tornam-se desprovidos da proteção e amparo do acolhimento institucional e acabam por seguir trajetórias que os levam a situações de risco e à violência”, observou.
 

Ainda segundo o corregedor, o projeto Auxiliando Vidas promoverá a inclusão social destes jovens por meio da formação técnico-profissional, auxiliando sua inserção no mercado de trabalho.

 

Para o supervisor da Coordenadoria Estadual Judiciária da Infância e Juventude (CEJIJ), desembargador Haroldo Rehen, o projeto desenvolvido pela corregedoria permitirá que os adolescentes contemplados estejam cada vez mais aptos ao mercado de trabalho. “Trata-se de um trabalho que contribui para que tenhamos uma sociedade ainda melhor, com um olhar ímpar para esses jovens e adolescentes”, ressaltou o desembargador.

 

O presidente do Sistema Fecomércio e Sistema S, Valdeci Cavalcante, destacou que, a partir da assinatura do termo, serão ofertadas vagas gratuitas para capacitar os jovens em situação de vulnerabilidade, com idade entre 14 e 18 anos, por meio dos cursos profissionalizantes ofertados pelo SENAC.

“Levaremos o trabalho realizado pelo SESC e SENAC a esses adolescentes para que eles possam ser inseridos no mercado de trabalho quando completarem 18 anos, através da capacitação e conhecimento adquiridos. Temos esse papel social e estaremos juntos colaborando com a Corregedoria Geral da Justiça e impactando essas vidas de forma positiva”, comentou Valdeci Cavalcante.

Além de criar o projeto, a Corregedoria Geral da Justiça prestará todo apoio, bem como acompanhará o desenvolvimento das ações, que iniciarão em Teresina, com perspectiva de expansão para os outros municípios onde existam unidades do Sistema S e abrigos aptos à adoção do projeto Auxiliando Vidas.

 

Para a juíza da 1ª Vara da Infância e Juventude de Teresina, Maria Luiza de Moura Mello e Freitas, o projeto somará nas boas ações públicas que visam ao bem-estar de jovens e adolescentes em situação de vulnerabilidade: “São adolescentes que vivem em situações de vulnerabilidade que serão contemplados com as ações do projeto, que oferecerá os cursos profissionalizantes e, a partir de então, eles terão uma maior orientação na vida e poderão prestar serviços e conquistar novos espaços na sociedade”, frisou a magistrada.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://universopiaui.com/.
Fale pelo Whatsapp
Obrigado por acessar nossa página.
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp