Universo Piauí Publicidade 1200x90
01/03/2023 às 19h06min - Atualizada em 01/03/2023 às 19h06min

Defensora pública Patrícia Monte fala sobre projeto Meu Nome, Meu Orgulho

A iniciativa proporciona orientações e atendimentos para pessoas trans, travestis e não-binaries

Imagem: Universo Piauí
O Universo Piauí recebeu a defensora pública Patrícia Monte, nesta quarta-feira (01), para falar do lançamento do relatório do projeto "Meu Nome, Meu Orgulho". 

A iniciativa proporciona orientações e atendimentos para pessoas trans, travestis e não-binaries, que buscam o direito de ter, em seus documentos, o nome e o gênero com o qual se identificam.

Uma realização da Defensoria Pública do Piauí (DPE-PI), o projeto está ativo desde 2018 e já realizou diversos atendimentos, possibilitando que mais de 100 pessoas tivessem seus documentos retificados.

Fernanda Rodrigues, mulher trans que foi beneficiada pelo projeto, agradeceu a Defensoria pela iniciativa e declarou que o projeto deveria ter mais visibilidade.

"Eles me auxiliaram em todo o processo para fazer essa retificação do meu pronome e gênero nos documentos, principalmente na Certidão de Nascimento. Na época, eu recebi um atendimento muito bom e exclusivo on-line, porque estávamos na pandemia. E, além disso, por ter sido feito pela Defensoria, eu não precisei pagar nada para solicitar a retificação", afirmou.

"Projetos como esse são essenciais pra garantia de direitos e dignidade da população trans, sobretudo, de travestis e transsexuais negras e negros. E quando essa retificação acontece, essas transfobias não são de forma alguma minimizadas. Mas é importante refletir que existem aquelas pessoas que ainda não conseguiram fazer essa mudança na documentação, e elas precisam também ser igualmente respeitadas, elas precisam também ter esses lugares de acesso igualmente garantidos. E quando eu falo de lugares de acesso, estou falando das universidades, dos postos de trabalho, estou falando de diversas outras áreas e setores que nós podemos e iremos ocupar enquanto travestis e transsexuais", declarou Ayra Dias, pesquisadora e ativista dos direitos Travestis.

A defensora Patrícia Monte explicou ainda que, apesar do lançamento do relatório final, o projeto "Meu Nome, Meu Orgulho" continuará com os atendimentos e orientações presenciais ao público LGBTQIA+.

Confira a entrevista na íntegra:



Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://universopiaui.com/.
Fale pelo Whatsapp
Obrigado por acessar nossa página.
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp